CBA divulgou o Regulamento Nacional de Kart para 2019. Adoção do para-choque CIK/FIA é a principal novidade

Nesta terça-feira, dia 15 de janeiro, foi disponibilizado para o público em geral o novo website da Confederação Brasileira de Automobilismo. Acessível pelo já conhecido endereço www.cba.org.br, o portal traz todas as informações importantes sobre o motorsport no país e, como não poderia deixar de ser, o kartismo tem um lugar de grande destaque.

O primeiro documento do kartismo publicado no novo site foi o Regulamento Nacional de Kart 2019. O documento, que há vários anos dita todas as normas e procedimentos relativos à organização e supervisão de provas de kart no país, sofre anualmente atualizações e melhorias que visam, sobretudo, a modernização dos procedimentos nas competições.

No documento de 2019, em comparação ao de 2018, poucas novidades foram observadas. Porém, o que vem de novo atende em cheio aos anseios da comunidade do kartismo brasileiro.

A primeira mudança diz respeito à categoria Júnior. A partir de 2019 esta classe poderá utilizar, também, os chassis homologados internacionalmente e registrados no Brasil. Assim, além das marcas nacionais, os pilotos desta categoria poderão adquirir junto aos representantes no país os chassis Birel ART, CRG ou Tony Kart.

A segunda mudança, uma das mais solicitadas nos últimos meses, diz respeito aos para-choques frontais. Seguindo um novo sistema que já está em utilização nas principais provas da Europa e Estados Unidos, as categorias a seguir deverão usar, obrigatoriamente, o novo sistema de fixação dos bicos: Júnior, Graduado, Sênior A, KZ, KZ Sênior, CODASUR, CODASUR Junior e OK Internacional.

Cabe lembrar que esse novo sistema de fixação dos bicos apresenta dois estágios e, com isso, pelas experiências já vividas no exterior, o número de batidas foi drasticamente reduzido. Nas provas nacionais, a CNK já adianta que terá um “Juiz de Fato” com a única atribuição de conferir a fixação dos bicos e informar, em caso de irregularidade, aos Comissários Desportivos.

“As duas principais alterações no RNK 2019 vêm de encontro ao processo de internacionalização do nosso kartismo, sistema proposto desde 2017, quando assumimos a CNK e viemos trabalhando neste sentido desde então. Acredito que com a abertura da categoria Júnior aos chassis importados, bem como a implementação do novo sistema de fixação dos bicos para algumas categorias, demonstram, mais uma vez, o nosso alinhamento com o que de melhor tem sido apresentado no mundo”, comentou Pedro Sereno, presidente da Comissão Nacional de Kart.

 

Faça o download do RNK 2019 e fique por dentro de tudo.

Fonte: Quick Comunicação e Marketing